top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

A JUDICIALIZAÇÃO DO REINTEGRA

A medida do Governo voltada a cortar benefícios fiscais para bancar as concessões relacionadas a administração do preço do óleo diesel recebe críticas e fortes acenos de questionamentos judiciais . Um desses questionamentos tem relação ao Reintegra, programa que objetiva devolver ao exportador parte do chamado resíduo tributário das operações de exportação.

A diminuição da alíquota para essa chamada devolução foi de 2% para 0,1% (veja o nosso informe de 04/06/2018).

Setores da economia, fortes exportadores, argumentam que sem uma reforma tributária, retirar ou diminuir sensivelmente o Reintegra, como ocorreu, pode inviabilizar as exportações.

Uma das teses em análise é que a indústria exportadora já havia orçado e programado o benefício do Reintegra em suas projeções e resultados financeiros para 2018, isso atendendo as condicionais para ter direito ao benefício e a diminuição drástica e imediata ocorrida no transcurso do exercício afronta o equilíbrio econômico e financeiro das empresas por questões alheias a sua gestão e baseadas exclusivamente em ato do Executivo Federal.

Confira nossa rede social:

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

PIS - COFINS E O ICMS-ST

A 1ª Seção do Superior Tribunal de Justiça – STJ,  por decisão unânime, em julgamento de recurso repetitivo, ou seja, com decisão base para instancias inferiores do Judiciário, entendeu pelo não aprov

AUTODECLARAÇÃO DE ORIGEM

Conforme mencionamos em informe anterior  (NOVO REGIME DE ORIGEM – MERCOSUL), os membros desse mercado comum,  decidam por adotar o método de comprovação de origem identificado como autodeclaração _ a

NOVO REGIME DE ORIGEM - MERCOSUL

O Decreto de número 12058/24, tratou do 218º Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica número 18 do MERCOSUL,  firmado entre Brasil, Argentina, Paraguai, e Uruguai. Esse Protocolo Adic

コメント


bottom of page