top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

A PREOCUPAÇÃO DO GOVERNO COM A INDÚSTRIA 4.0

Deve ser lançado no próximo mês de março um pacote do Governo Federal para acelerar a entrada do país na era da indústria 4.0.  Trabalha-se, a princípio,  com esse foco para cinco setores da economia, são eles – o agronegócio, o automotivo, o têxtil, o setor de defesa,  e o setor de saúde relacionado a equipamentos médicos.

Já, representantes  das industriais, indicam que por questões de competitividade do nosso parque manufatureiro com o que temos hoje em cenário mundial, pelo menos  14 setores deveriam ser acompanhados de perto, e mencionam entre eles o farmoquímico e farmaceutico, químico, minerais não metálicos, couro e calçados. Esses representantes alertam, também,  para a importância das pequenas e médias industrias na cadeia produtiva, pois as grandes industrias, em muitos processos, são dependentes das pequenas e médias, e essa política ou pacote em análise não pode deixar as mesmas de lado.

O Governo trabalha com propostas relacionadas a facilitiação de linhas de créditos através de bancos públicos, contribuição em infraestrutura básica como energia e telecomunicações e apoio a transformação digital relacionada aos processos de manufatura. A industria 4.0 tem o seu alicerce na incorporação de novas tecnologias e na modernização dos processos industriais. A incorporação nesses processos da chamada intereligencia  artificial, impressão 3D, computação em nuvem e da internet das coisas aplicada ao chão de fábrica, são  um aceno de como será a industria em futuro próximo.

Em nosso informativo de 06/11/2017 tratamos da Revolução 4.0  na industria.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page