top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

A QUESTÃO DO DIFAL – ICMS

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, manteve liminar obtida por empresa, em primeira instância, quanto à cobrança do DIFAL-ICMS somente a partir de 2023.


Trata-se de posicionamento importante para o momento, pois não houve recepção dos argumentos do Estado de São Paulo quanto a postergar a cobrança do DIFAL-ICMS para 2023, ser claramente contrário ao que prevê a Constituição, quanto ao prazo nonagesimal. O posicionamento do Judiciário vai em linha ao fato de que, São Paulo, ao publicar a Lei de número 14470/21 em dezembro, indicando a vigência da mesma após 90 dias de sua publicação, de forma a cobrar o DIFAL-ICMS a partir de abril/2022, São Paulo, não estaria observando o princípio da anterioridade geral, visto que, a Lei Complementar de número 190 teve publicação somente em janeiro/2022, sendo ela, a diretriz principal para essa cobrança. Com esse posicionamento o TJ de São Paulo, manteve a liminar obtida pela empresa para a cobrança do DIFAL somente a partir de 2023.


Além da Lei de número 14470/21, o Estado de São Paulo, também publicou o Comunicador CAT de número 02 de 27/01/2022 indicando a cobrança do DIFAL-ICMS a partir de 1º de abril de 2022.

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page