Buscar
  • Grupo Bahia & Associados

A QUESTÃO DO ICMS NAS EXPORTAÇÕES

Entendimento que parecia claro com relação a aplicação do ICMS diz respeito a não incidência do mesmo na cadeia de fornecimento anterior a produto manufaturado com a finalidade de  exportação, sendo esse item fornecido, destinado a essa operação específica.

Na ultima semana o STF – Supremo Tribunal Federal analisou questão a esse respeito e entendeu que nas exportações, não se pode ampliar, em termos de interpretação, a norma que trata da não incidência do ICMS nessas operações específicas, devendo se aplicar a interpretação literal do texto da Constituição que diz não incidir ICMS nas operações que destinem mercadorias e serviços ao exterior (alínea “a” do inciso X do parágrafo 2º do artigo 155 da Constituição Federal), o que pressupõe a tributação nas operações internas, ressaltando que nesse texto da Constituição que indica a não incidência do ICMS, há a indicação da possibilidade de manutenção e aproveitamento do montante do imposto cobrado na operação anterior.

Mediante essa decisão do STF, torna-se importante acompanhar o posicionamento de Estados que, em termos de regulamentação do imposto, assim como de seus Tribunais, já tinham entendimento claro quanto a essa não tributação do ICMS em etapas anteriores ao fornecimento do item a ser utilizado na cadeia de fornecimento para exportação.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O PESO DO FRETE MARÍTIMO

A Agencia das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (UNCTAD) alertou para o risco da recuperação da economia mundial, considerando a alta das tarifas de frete marítimo. A questão consider

SONEGAÇÃO NO PAÍS

A Receita Federal esta em fase final de trabalho que vai indicar o tamanho da ausência de recolhimento de PIS e Cofins em determinado período. Esse estudo esta sendo preparado há mais de um ano, com m

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou a proposta de prorrogação da desoneração da folha de pagamento até o final de 2023. A prorrogação atinge os 17 setores já co