top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

AGENDA SUSTENTÁVEL _ PASSIVO AMBIENTAL

Atualizado: 22 de nov. de 2020

Boas práticas de compliance implantadas pelas empresas para não gerarem ou agravarem passivos ambientais passam a ser item de peso considerável quando se tratada de captação de recursos, de busca de investimento, de aprovação em linhas de financiamento, ou, dos interesses relacionados a títulos dessas companhias.


Recentemente, empresas como a Vale do Rio Doce e a Eletrobrás tiveram sua exclusão quanto a possíveis receptoras de investimentos do fundo soberano da Noruega, por conta de eventos relacionados aos acidentes de Brumadinho e Mariana, e projeto da Usina de Belo Monte. Ainda em relação a Vale outros investidores externos já tinham se desfeito de seus títulos, ou vedado investimentos na empresa.


Importante na questão é a percepção que mesmo havendo uma ação governamental mais incisiva quanto a questão ambiental, o mercado financeiro e o mercado de investimentos vai impondo suas regras de forma a moldar as empresas quanto a terem e manterem uma agenda de sustentabilidade relacionada ao meio ambiente.


Esse fato não é somente relacionado ao mercado financeiro, ou, aos investidores. Também, há poucos dias, sete redes de supermercados da França, divulgaram a inclusão de clausula em seus contratos de compras de soja, que associa as compras ao compromisso do não desmatamento por parte fornecedor.


Temos assim, uma mudança de comportamento nas relações comerciais, mudança essa que busca fazer com que essas relações sejam também, uma fonte de práticas voltadas a conservação do meio ambiente.


Dessa forma, as boas práticas voltadas a sustentabilidade com respeito as questões ambientais vão surgindo e se impondo nas relações de naturezas financeiras, de investimentos, e comerciais.

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page