top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

AGRONEGÓCIO E O ICMS DO ESTADO DE SÃO PAULO

O pacote do medidas do Estado de São Paulo destinado a indicar medidas para equilibrar o orçamento do Estado nos próximos dois anos, não foi bem aceito pelo setor de agronegócio. O assunto foi tratado em nossos informativos de 20/novembro/2020 e 02/dezembro/2020. O setor alega que o Governo aumentou de forma silenciosa a carga tributária do mesmo. Produtos até então isentos passarão a ter tributação de forma diferenciada. O Fórum Paulista de Agronegócio divulgou manifesto criticando as alterações do ICMS do Estado de São Paulo que impactarão as atividades do setor.


Um dos pontos para os quais a crítica é direcionada tem relação com o parágrafo 1º do artigo 22 da Lei de número 17293/2020 que indica, para efeitos de análise do ICMS, ser equiparado a benefício fiscal alíquota do imposto fixada abaixo de 18%. Com essa indicação e outras disposições da Lei que trouxe esse pacote de medidas ao Estado (Lei de numero 17293/2020), os benefícios poderão ser revistos a qualquer momento, ou seja, tenham aumento de alíquota do imposto (ICMS).


O setor alega que a tributação diferenciada para produtos relacionados ao mesmo, tradicionalmente não é tratada como benefício, mas sim como uma aplicação de alíquota diferenciada considerando a destinação de seu consumo em prol da população, com todo o escopo de uma atividade, que até induz ao caráter social da produção e do fornecimento.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page