Buscar
  • Grupo Bahia & Associados

ALTERAÇÕES E ATUALIZAÇÕES DO ICMS – SP (IV)

Na sequência temos mais algumas atualizações sobre o RICMS-SP ocorridas no final de 2021.


O Decreto de número 66387/21 abordou o artigo 14 do anexo I do Regulamento do ICMS do Estado de São Paulo - Decreto de número 45490/00. Esse artigo trata de isenção do imposto (ICMS) no tocante a equipamentos e insumos para cirurgias, itens esses listados no parágrafo 5º desse mesmo artigo.


A redação original dizia que o benefício ficava condicionado ao fato da operação analisada estar contemplada com a isenção ou tributação com alíquota zero pelo Imposto de Importação ou pelo Imposto sobre Produtos Industrializados, e com a desoneração das contribuições para o PIS e para a COFINS.

A nova redação indica que o benefício fica condicionado a que a operação analisada esteja contemplada com a isenção ou tributação com alíquota zero pelo Imposto de Importação ou pelo Imposto sobre Produtos Industrializados, e com a desoneração das contribuições para o PIS e para a COFINS referente ao item prótese de silicone, 9021.39.80.

Esse mesmo Decreto, no capítulo do RICMS-SP, que trata de diferimento do imposto, acrescentou informações sobre essa possibilidade de tratamento ocorrer nas operações com cimento asfáltico de petróleo cuja destinação seja a fabricação de asfalto ecológico. Assim, o lançamento do imposto incidente na saída interna de cimento asfáltico de petróleo, classificado com a NCM 2713.20.00, destinado a estabelecimento fabricante de cimento asfáltico de petróleo constituído de, no mínimo, 15% e, no máximo, 25% de borracha moída de pneus usados, classificado na NCM 2713.20.00 denominado "asfalto ecológico", fica parcialmente diferido, na proporção de 33,33% (trinta e três inteiros e trinta e três centésimos por cento) do valor da operação, para o momento em que ocorrer a saída do "asfalto ecológico".

Com relação a esse mesmo produto, temos mais uma alteração trazida pelo Decreto de número 66387/21, referente a isenção do ICMS, sendo ela relacionada ás operações com cimento asfáltico de petróleo constituído de, no mínimo, 15% e, no máximo, 25% de borracha moída de pneus usados, classificado na NCM 2713.20. Essa isenção se aplica, também, à parcela do imposto que foi diferida, mencionada no parágrafo anterior, quando das saídas internas do cimento asfáltico de petróleo, classificado na NCM 2713.20.00 destinado à produção do chamado “asfalto ecológico” em face do encerramento do diferimento até então aplicado a operação.

Um outro ponto tratado pelo Decreto de número 66387/21 tem relação com o complemento de 1,3% sobre a alíquota de ICMS de alguns produtos que até então tinham alíquota de 12%. Essa questão foi alvo do Decreto de número 65470/21, com aplicação a partir de 15/janeiro/21. A alteração trazida, agora, a essa questão refere-se a indicar que esse complemento de alíquota terá prazo de 24 meses a contar de 15/janeiro/21.

Por último, esse Decreto, alterou determinações do RICMS-SP referente a produtos e operações relacionadas a aplicação da isenção do ICMS. São elas:

-houve a revogação de disposições que indicavam as operações com equipamentos e insumos para cirurgia (artigo 14 anexo I) terem isenção somente quando destinadas a hospitais públicos federais, estaduais, municipais, ou santas casas;

-houve a revogação de disposições que indicavam as operações com medicamentos (artigo 92 anexo I) terem isenção somente quando destinadas a hospitais públicos federais, estaduais, municipais, ou santas casas;

-houve a revogação de disposições que indicavam as operações com medicamentos para o tratamento de Gripe “A” (artigo 150 anexo I) terem isenção somente quando destinadas a hospitais públicos federais, estaduais, municipais, ou santas casas.


Outro Decreto também publicado em 28/12/21, foi o de número 66388, que colocou mais um produto na lista daqueles que podem ter isenção do ICMS no Estado. Esse Decreto acrescentou o artigo 176 na lista de itens relacionado ao anexo I (mercadorias sujeitas a isenção do ICMS) do RICMS-SP. Esse item tem a seguinte indicação:

(......)


"Artigo 176 (ABSORVENTES) - Operações realizadas com absorventes íntimos femininos, internos e externos, tampões higiênicos, coletores e discos menstruais, calcinhas absorventes e panos absorventes íntimos, classificados no código 9619.00.00 da Nomenclatura Comum do Mercosul - NCM, destinados a órgãos da Administração Pública Direta e Indireta Federal, Estadual e Municipal e a suas fundações públicas (Convênio ICMS 187/21).

Parágrafo único - Não se exigirá o estorno do crédito do imposto relativo à mercadoria beneficiada com a isenção prevista neste artigo.".


(......)


O Decreto de número 66389/21 propôs alterações ao Decreto de número 63208/2018 que trata a isenção e redução de base de cálculo do ICMS em operação com bens ou mercadorias destinadas às atividades de exploração ou produção de petróleo e gás natural, enfatizando a habilitação no REPETRO-SPED (Regime Aduaneiro Especial de Exportação e de Importação de Bens Destinados às Atividades de Pesquisa e de Lavra das Jazidas de Petróleo e de Gás Natural) como condicional para usufruir dos respectivos benefícios.


O Decreto de número 66390/31 tratou de alterar uma das condicionais para se usufruir da isenção do ICMS em operações com produto específico. O produto em questão consta no artigo 2º do anexo I do RICMS-SP e é identificado como medicamentos para o tratamento de AIDS. A condicional para se usufruir do benefício da isenção nas operações com esses produtos estava relacionada aos mesmos terem a isenção ou alíquota zero de imposto de importação ou de IPI, e as operações serem destinadas a hospitais públicos federais, estaduais, municipais, ou santas casas. A redação atual indica que a condicional para se ter a isenção está relacionada as operações com os mesmos terem a isenção ou alíquota zero de imposto de importação ou de IPI . Esse mesmo Decreto menciona a revogação de disposições do RICMS-SP que sejam contrárias a ele, mencionando textualmente, o parágrafo 3º do artigo 154 desse anexo I. O artigo 154 trata de medicamentos para o tratamento de câncer. As disposições do parágrafo 3º, anteriormente, indicavam ser a isenção aplicada mas operações que destinassem esses medicamentos (os mesmos estão listados no artigo) para os hospitais públicos federais, estaduais, municipais ou santas casas. Essa condicional foi revogada.

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Atenção para o tratamento referente a créditos de PIS e COFINS referente a aquisição de diesel, querosene de aviação, gás de cozinha e biodiesel A redação original do artigo 9º da Lei Complementar de

Informação publicada no gov.br notícias. Governo Federal anuncia nova redução de 10% no Imposto de Importação de bens comercializados Medida abrange 6.195 códigos da Nomenclatura Comum do Mercosul (NC

A Instrução Normativa RFB de número 2082/2022 prorrogou os prazos de entregas de ECD - Escrituração Contábil Digital, e ECF - Escrituração Contábil Fiscal para as informações referente a 2021. Os novo