top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ALTERAÇÕES/EXIGÊNCIAS NA NOTA FISCAL ELETRÔNICA - ATENÇÃO

O Ajuste SINIEF n⁰ 07/2005, dispositivo que instituiu a Nota Fiscal Eletrônica e o DANF e _ Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica  passa por constantes alterações buscando aperfeiçoar as informações da Nota e do documento ao que  se exige de controle na movimentação física das mercadorias, isso com  suporte em toda a ferramenta sistêmica e tecnológica  e outras formas de controle aplicadas e destinadas a essa finalidade de rastrear as informações lincadas  a determinada operação.

Uma das informações que constava no ajuste e que agora está sendo detalhada se refere ao uso obrigatório, com informação em campos próprios da NFe dos códigos  cEAN e cEANTrib, isso quando o produto comercializado possuir código de barras com GTIN (Numeração Global de Item Comercial).

Para a autorização de uso da NFe a administração tributária do Estado de localização da empresa analisará essas referências ao código de barra conforme o seguinte cronograma:

Grupo CNAE 324 a partir de 01/09/2017

Grupo CNAE 121 e 122 a partir de 01/10/2017

Grupo CNAE 211 e 212 a partir  de 01/11/2017

Grupo CNAE 261 a 323 a partir de 01/12/2017

Grupo CNAE 103 a 112 a partir de 01/01/2018

Grupo CNAE 011 a 102 a partir de  01/02/2018

Grupo CNAE 131 a 142 a partir de 01/03/2018

Grupo CNAE 151 a 209 a partir de 01/04/2018

Grupo CNAE 221 a 259 a partir de 01/05/2018

Grupo CNAE 491 a 662 a partir de 01/06/2018

Grupo CNAE 6630ª 872 a partir de 01/07/2018

Demais Grupos de CNAEs a partir de 01/08/2018

Os usuários da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica  devem, também, estar atentos a essa exigência e a esse cronograma.

Esse assunto foi tratado nos Ajustes SINIEFs 06/2017 e 07/2017.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

コメント


bottom of page