top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO DO ICMS DE SANTA CATARINA (ATENÇÃO SETOR DE AUTOPEÇAS COM RELAÇÃO AO ICMS-S

O Estado de Santa Catarina, através da Lei de numero 17878/19 reduziu, a partir de 01 de março de 2020, a alíquota do ICMS nas operações internas de 17% para 12%. Com essa alteração, cálculos do ICMS-ST, no que se refere a aplicação do MVA Original (Margem de Valor Agregado – Original) serão modificados para repercutirem o efeito dessa redução do ICMS.

Essa mudança prevê que na hipótese de incidir sobre a operação própria interna (entre contribuintes do Estado de Santa Catarina) a alíquota de 12%, para efeitos de cálculo da ST, a MVA-ST original aplicável às operações internas com mercadorias a seguir identificadas deve ser ajustada de acordo com a seguinte fórmula:

MVA-ST original ajustada = [(1+ MVA-ST original) x (1 – 12%) / (1 – 17%)] -1, sendo “MVA-ST original” a estabelecida pelo anexo 1-A ou anexo 3 do Regulamento do ICMS daquele Estado, conforme o caso aplicado a:

  1. a) cimento

  2. b) pneumáticos, câmaras de ar e protetores de borracha;

  3. c) peças, componentes e acessórios para autopropulsados;

  4. d) cosméticos, perfumaria, artigos de higiene pessoal e toucador;

  5. e) refrigerantes e outras bebidas;

  6. f) produtos de perfumaria e higiene pessoal e cosméticos;

A nova alíquota do ICMS (12%) não se aplica as operações para as quais a previsão de alíquota é de 25%.

A partir de 01 de abril de 2020 o ICMS-ST  aplicável ao setor de auto peças será revogado. O contribuinte do Estado deve ter atenção referente  ao procedimento para aproveitamento de crédito de ICMS nessa revogação.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

留言


bottom of page