top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ARRECADAÇÃO EM ALTA

A carga tributária de 33.9% em relação ao PIB para 2021, traz o seguinte questionamento, o que fazer com esse excesso de arrecadação que chegou a R$ 570 bilhões. Quando se faz opção pela de alguns impostos a questão que fica para análise, e se essa arrecadação é sustentável ao longo do tempo. Avalia-se, por exemplo, temas como a expansão da economia, a aceleração da inflação, e a alta dos preços das comodities, como possíveis motivadoras para esse aumento de arrecadação.


A questão colocada à mesa esta relacionada a cortar impostos com base em ganhos temporários, pode provocar desequilíbrio mais à frente, inclusive com a volta da tributação como a que tínhamos antes desses cortes.


A Equipe Econômica diz que o ganho de arrecadação é estrutural, ou seja, não é temporário, o que possibilita cortes, como por exemplo, do IPI, e o que está em estudo para o imposto de renda da pessoa física. Especialistas já entendem que a prioridade seria garantir o superavit primário de forma a trazer estabilidade para a dívida pública.


Enfim, temos posicionamentos quanto a mudança de padrão e consumo na economia, mudanças essas que podem trazer pontos de conflito a avaliação, já que o distanciamento social, em virtude da pandemia, fez o consumo de serviços reduzir de forma vertiginosa, já o consumo de bens duráveis (bens industrializados) teve forte aumento, e nesse prisma devemos considerar que a tributação dos bens duráveis é maior do que a tributação sobre serviços. Assim estima-se que haja, em breve, alterações nesse perfil de consumo, e teoricamente, de arrecadação, vindo daí o questionamento sobre o ganho estrutural, base para o corte de impostos, e a não prioridade quanto a destinar o aumento de arrecadação para garantir um superavit primário, fundamental no controle das contas públicas.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

REHIDRO

REHIDRO é o Regime Especial de Incentivos para a Produção de Hidrogênio de Baixa Emissão de Carbono, que concederá  em termos de beneficio fiscal,  crédito da CSLL para dedução de outros tributos fede

ASSUNTO PARA MANTER NO RADAR

Proposta de aumento da CSLL. O Governo Federal, tem como proposta para compensar  a manutenção da desoneração da folha de pagamento, o aumento da CSLL, aumento esse que seria aplicado com base em um g

Comentarios


bottom of page