top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ATENÇÃO AO SISTEMA “S”

Os nossos informativos de 23 de julho de 2020 e 28 de setembro de 2020 trataram do assunto “Sistema S” quanto a exploração de tese relacionada a base de cálculo para recolhimento a esse sistema estar limita a 20 salários mínimos vigentes no País.


As empresas defendem entendimento que o parágrafo Único do artigo 4º da Lei de número 6950/81 trouxe essa limitação, e que a especificação contida no artigo 3º do Decreto Lei de número 2318/86, que alterou esse limite, ou, informou a sua não aplicabilidade, é somente para a base de cálculo relacionada ao salário de contribuição da empresa para a Previdência Social.


Dessa forma, a base de cálculo máxima para o Sistema “S” estaria limitada a 20 salários mínimos, ou seja, está limitada a R$ 20.900,00 (20 x R$ 1.045,00). Em situação do dia a dia a carga tributária para esse recolhimento equivale, em média, a 5,8% do total da folha de pagamento.

Em 23 de setembro, o STF – Supremo Tribunal Federal, analisou questão relacionada a cobrança através de folha de pagamento das empresas, de valor destinado ao custeio do SEBRAE, da APEX, e da ABDI, a decisão foi no sentido da manutenção dessas cobranças, porém esse posicionamento não trouxe ponto final ao tema, e sim deu a ele novo direcionamento, pois entende-se que o STF analisou e se posicionou sobre a cobrança da contribuição, mas não analisou a sua base para cálculo que já que a mesma tem decisão do STJ – Superior Tribunal de Justiça, quanto a validar a aplicação dos 20 (vinte) salários mínimos.


O assunto continua em pauta e as decisões judiciais estão favorecendo o entendimento dos contribuintes, quanto a base para calculo ser limitada a 20 salários mínimos.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page