top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

BASE DE CÁLCULO CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Solução de Consulta nº 17/19 da Coordenação Geral de Tributação (COSIT) esclareceu que na relação laboral classificada como trabalho intermitente (período por hora, diário ou mensal), no que se refere ao calculo de contribuições previdenciárias, deve-se incluir na base para esse cálculo os valores referentes a férias e seu adicional.

A Solução de Consulta cita que a natureza remuneratória das férias vincula as mesmas aos serviços prestados, sendo por isso base para calculo da contribuição. Já as férias não concedidas (verbas com características de multa pela não concessão), tem natureza indenizatória e ai não devem compor a base para calculo da contribuição.

Quanto ao adicional de férias (terço de férias) O STJ – Superior Tribunal de Justiça, entende que o mesmo, também, apresenta natureza indenizatória, logo não deveria fazer parte do calculo da contribuição previdenciária, mas a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional – PGFN, mantém posicionamento quanto a inclusão, aguardando manifestação do STF – Supremo Tribunal Federal, a respeito do tema.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

IMPOSTO DE RENDA DA PESSOA FÍSICA

Em um dos nossos últimos informativos, comentamos sobre a alteração da tabela progressiva do imposto de renda da pessoa física. Pela nova tabela a faixa de isenção que era de R$ 2.212,00 passou a ser

PERSE – A CORRETA APLICAÇÃO DO BENEFÍCIO

O PERSE – Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos, pode ter gerado a abertura para ilícitos relacionados  a operações de lavagem de dinheiro, isso com base  em análise de técnicos a Recei

bottom of page