top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

BONIFICAÇÕES EM MERCADORIAS

A Receita Federal, se posicionou recentemente, quanto as operações de bonificações em mercadorias quando a donatária está sujeita ao PIS e a COFINS pelo regime não cumulativo. Essa manifestação ocorreu por meio da Solução de Consulta da COSIT (Coordenação Geral de Tributação) de número 202/2021. Após vasta exposição, a Solução de Consulta, traz como conclusão os seguintes pontos:


- Bonificações em mercadorias entregues gratuitamente, a título de mera liberalidade, sem vinculação à operação de venda, caracterizam-se como descontos condicionais, são consideradas receitas de doação para a pessoa jurídica recebedora dos produtos (que a Solução de Consulta classifica como donatária), incidindo sobre essa operação o PIS e a COFINS não cumulativos sobre o valor de mercado desses itens;


-Para se determinar a alíquota do PIS da COFINS a ser aplicada nessa operação, considerando ser ela uma receita auferida em formato de bonificação de mercadorias que não constam em Nota Fiscal de venda, é importante determinar a natureza da receita se financeira ou comercial, base na bonificação então realizada, o que será determinado com base no contrato firmado entre as partes e nas condições que as mesmas pactuaram. Havendo a caracterização de receita financeira a taxação ocorrerá com a alíquota consolidada de 4,65% (PIS = 0,65% e COFINS = 4%), caso contrário sendo a caracterização de receita comercial, a taxação consolidada será de 9,65% (PIS = 1,25% e COFINS = 7,6%);


-As receitas de vendas dessas mercadorias recebidas a título de “doação” têm a incidência normal de PIS e COFINS;


-Referente a essas vendas das mercadorias recebidas em “doação” não se pode aplicar o desconto de créditos de PIS e COFINS, considerando que não houve incidências dessas contribuições na etapa anterior de operação comercial com as mesmas.


Para as empresas que praticam a operação de bonificação é importante analisar o impacto da Solução de Consulta em referência. Uma alternativa que deve ser avaliada é realizar as bonificações como parte integrante das NFs de vendas, ou seja, uma NF com dois CFOPs, o que impacta o custo dessa operação de aquisição, ou seja, deve-se analisar os prós e contras da bonificação em NF isolada, ou, da prática da bonificação em NF conjunta com operação de venda.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

REFORMA TRIBUTÁRIA

Temos realizado comentários quanto a questão relacionada a proposta original da reforma tributária de não aumento de carga tributária, e as análises atuais, que indicam, essa proposta não será cumprid

VAREJO

As vendas no varejo cresceram em abril, mas com crescimento abaixo do esperado. Apesar disso houve, também, a identificação  de busca ao alcance da meta considerando o aquecimento do mercado de trabal

Comments


bottom of page