Buscar
  • Grupo Bahia & Associados

BONIFICAÇÕES EM MERCADORIAS

A Receita Federal, se posicionou recentemente, quanto as operações de bonificações em mercadorias quando a donatária está sujeita ao PIS e a COFINS pelo regime não cumulativo. Essa manifestação ocorreu por meio da Solução de Consulta da COSIT (Coordenação Geral de Tributação) de número 202/2021. Após vasta exposição, a Solução de Consulta, traz como conclusão os seguintes pontos:


- Bonificações em mercadorias entregues gratuitamente, a título de mera liberalidade, sem vinculação à operação de venda, caracterizam-se como descontos condicionais, são consideradas receitas de doação para a pessoa jurídica recebedora dos produtos (que a Solução de Consulta classifica como donatária), incidindo sobre essa operação o PIS e a COFINS não cumulativos sobre o valor de mercado desses itens;


-Para se determinar a alíquota do PIS da COFINS a ser aplicada nessa operação, considerando ser ela uma receita auferida em formato de bonificação de mercadorias que não constam em Nota Fiscal de venda, é importante determinar a natureza da receita se financeira ou comercial, base na bonificação então realizada, o que será determinado com base no contrato firmado entre as partes e nas condições que as mesmas pactuaram. Havendo a caracterização de receita financeira a taxação ocorrerá com a alíquota consolidada de 4,65% (PIS = 0,65% e COFINS = 4%), caso contrário sendo a caracterização de receita comercial, a taxação consolidada será de 9,65% (PIS = 1,25% e COFINS = 7,6%);


-As receitas de vendas dessas mercadorias recebidas a título de “doação” têm a incidência normal de PIS e COFINS;


-Referente a essas vendas das mercadorias recebidas em “doação” não se pode aplicar o desconto de créditos de PIS e COFINS, considerando que não houve incidências dessas contribuições na etapa anterior de operação comercial com as mesmas.


Para as empresas que praticam a operação de bonificação é importante analisar o impacto da Solução de Consulta em referência. Uma alternativa que deve ser avaliada é realizar as bonificações como parte integrante das NFs de vendas, ou seja, uma NF com dois CFOPs, o que impacta o custo dessa operação de aquisição, ou seja, deve-se analisar os prós e contras da bonificação em NF isolada, ou, da prática da bonificação em NF conjunta com operação de venda.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Atenção para o tratamento referente a créditos de PIS e COFINS referente a aquisição de diesel, querosene de aviação, gás de cozinha e biodiesel A redação original do artigo 9º da Lei Complementar de

Informação publicada no gov.br notícias. Governo Federal anuncia nova redução de 10% no Imposto de Importação de bens comercializados Medida abrange 6.195 códigos da Nomenclatura Comum do Mercosul (NC

A Instrução Normativa RFB de número 2082/2022 prorrogou os prazos de entregas de ECD - Escrituração Contábil Digital, e ECF - Escrituração Contábil Fiscal para as informações referente a 2021. Os novo