top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA DA PESSOA FÍSICA – REFORMA TRIBUTÁRIA

Já era proposta do Ministério da Economia acabar com a declaração do imposto de renda da pessoa física com o desconto simplificado. As alegações para isso vão na linha de que a digitalização é instrumento para uso dos contribuintes de forma que eles não precisassem mais guardar tantos documentos, tantas informações todas em papel, o que dificultava o pleno uso das possibilidades de descontos na declaração. Essa facilidade, suporte na digitalização, é um forte instrumento para eliminar o uso da declaração com o desconto simplificado, ou seja, a facilidade de localizar e guardar documentos que possam ser utilizados como desconto, está ai, é só utilizar, daí não ser mais necessário o desconto simplificado.


Essa proposta foi agregada a outras sugestões que fazem parte das indicações do Executivo para a segunda fase da reforma tributária, a fase que foca o imposto de renda das empresas e das pessoas físicas.


Atualmente, qualquer contribuinte do imposto de renda pessoa física, pode realizar a opção em declarar seu imposto pelo modelo simplificado. O mecanismo permite que o declarante usufrua do desconto padrão de 20% sobre a renda tributável, ou seja, tendo outras possibilidades de deduções, o contribuinte pode abrir mão delas e centrar-se no desconto padrão que tem o limite atual na casa de R$ 16.754,34.


Juntando o útil (intenção de acabar com o desconto simplificado) com o agradável (sugestão para a reforma) temos, agora, a proposta de utilização dessa forma de desconto (simplificado) somente para os contribuintes com renda anual até R$ 40.000,00.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

PIS - COFINS E O ICMS-ST

A 1ª Seção do Superior Tribunal de Justiça – STJ,  por decisão unânime, em julgamento de recurso repetitivo, ou seja, com decisão base para instancias inferiores do Judiciário, entendeu pelo não aprov

AUTODECLARAÇÃO DE ORIGEM

Conforme mencionamos em informe anterior  (NOVO REGIME DE ORIGEM – MERCOSUL), os membros desse mercado comum,  decidam por adotar o método de comprovação de origem identificado como autodeclaração _ a

NOVO REGIME DE ORIGEM - MERCOSUL

O Decreto de número 12058/24, tratou do 218º Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica número 18 do MERCOSUL,  firmado entre Brasil, Argentina, Paraguai, e Uruguai. Esse Protocolo Adic

Comments


bottom of page