top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

DECLARAÇÃO DE OPERAÇÕES LIQUIDADAS COM MOEDA EM ESPÉCIE - DME

A Instrução Normativa da RFB e n⁰ 1761/2017 abordou a obrigatoriedade de  pessoas físicas e pessoas jurídicas informarem a Receita Federal, mensalmente, a partir ide 01/2018, o resultado financeiro de operações nas quais ocorra o recebimento em espécie de valores pela venda ou cessão onerosa de bens e direitos, ou mesmo pelo recebimento de aluguéis, ou, por outra transação que envolva o recebimento em moeda.

Essa informação será prestada através  da Declaração de Operações Liquidadas com Moeda em Espécie – DME, a entrega será realizada até o último dia do mês seguinte ao do recebimento.

A entrega ocorrerá  via internet (site da Receita Federal) através do Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte – eCAC.

A obrigação deve ser atendida por quem receber  em espécie no mês, pela soma dos recebimentos acima mencionados, valor igual ou superior a R$ 30.000,00 ou o equivalente em outra moeda.

Há comentário quanto a essa obrigação ter sido criada pelo volume de informações constantes em declarações de pessoas físicas e jurídicas, volume esse que deixou a Receita Federal em alerta,   referente a disponibilidade de recursos em espécie, ou seja, disponibilidade de dinheiro em espécie sob o próprio controle do contribuinte sem utilizar bancos ou outra instituição financeira para guarda e gestão desses recursos.

A não entrega ou a entrega da informação com incorreções, sujeitará o contribuinte as seguintes multas:

-entrega fora do prazo:

- R$ 500,00 (quinhentos reais) por mês ou fração sendo o declarante  pessoa jurídica em início de atividade, imune ou isenta, optante pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional) ou, contribuinte  que na última declaração apresentada tenha apurado o Imposto sobre a Renda com base no lucro presumido

- R$ 1.500,00 pelo declarante contribuinte que não se enquadre no item acima.

-R$ 100,00 por mês ou fração de mês para as pessoas físicas

-entrega com informações incorretas:

-3% (três por cento) do valor da operação a que se refere a informação omitida, inexata ou incompleta, não inferior a R$ 100,00 (cem reais), se o declarante for pessoa jurídica.  Nesse ponto há a possibilidade de redução em 70% para empresas do SIMPLES.

-1,5% (um inteiro e cinco décimos por cento) do valor da operação a que se refere a informação omitida, inexata ou incompleta, se o declarante for pessoa física

As incorreções ou falta de entrega acima comentadas poderão ser comunicadas  ao Ministério Público Federal quando houver indícios de crimes relacionados a lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page