Buscar
  • Grupo Bahia & Associados

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

Uma das propostas em análise para apresentação pela equipe econômica do Governo Federal, como parte da segunda fase da Reforma Tributária, indica a redução da alíquota da Contribuição Social Patronal (INSS – Patronal) de  20% para 15%. Valores remunerados até  um salário mínimo  teriam isenção do INSS Patronal.

Para financiar essa proposta de desoneração, o caminho indica a  criação do imposto sobre transações financeiras, com o qual se pretende arrecadar algo na ordem de R$ 120 bilhões. Desse montante arrecadado R$ 70 Bilhões seriam destinados ao projeto de desoneração da folha de pagamento.

Lembrando que uma das “bandeiras” da Reforma Tributária é a não elevação da carga tributária.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A Instrução Normativa RFB de número 2082/2022 prorrogou os prazos de entregas de ECD - Escrituração Contábil Digital, e ECF - Escrituração Contábil Fiscal para as informações referente a 2021. Os novo

O Secretário Especial da Receita Federal do Brasil, anunciou hoje (18/maio/22) em evento patrocinado pelo CFC – Conselho Federal de Contabilidade, que a entrega da ECD – Escrituração Contabil Digital

Está em estudo na Câmara do Deputados em Brasília, uma proposta cujo objetivo é reduzir o custo das empresas para o atendimento das chamadas obrigações acessórias de natureza fiscal e tributária nos