Buscar
  • Grupo Bahia & Associados

O PESO DO FRETE MARÍTIMO

A Agencia das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (UNCTAD) alertou para o risco da recuperação da economia mundial, considerando a alta das tarifas de frete marítimo. A questão considera que 80% do comércio mundial utiliza o modal marítimo. Fatores de empecilhos logísticos no mesmo, como congestionamentos em portos e falta de containers direcionam o transporte para o modal aéreo o que não sustenta de forma segura as cadeias globais de produção, de comercio e de consumo.

Esse impacto já pode ser observado, por exemplo, com a indicação da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) quanto ao terceiro trimestre de 2021 já indicar diminuição do crescimento nas grandes economias, apesar de considerar que muitas retornaram a estágios de antes da pandemia.

A conclusão no momento atual é que para a voltada da normalidade no frete marítimo precisamos ter investimentos em infraestrutura, em tecnologia de transporte, em digitalização, em racionalização voltada a facilitar medidas comerciais, ou seja, soluções baseadas em inovação.

Caso seja mantido esse nível de custo para o frete marítimo, estima-se o incremento do preço de importações em 11%, elevando-se em média, o índice de preço a consumidor em 1,5 ponto percentual até o final de 2023.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

CUIDADOS QUE AS EMPRESAS DEVEM TER PARA 2022

Segue matéria do Grupo Bahia Associados, publicado no Site Contábeis, comentando e apontando cuidados que as empresas devem ter em 2022 para manter um bom planejamento econômico e financeiro de suas o

DISPOSIÇÕES DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

Em nossos informativos de 11, 16 e 29 de novembro de 2021 tratamos do Decreto de numero 10854/21 que teve como proposta trazer novas disposições a legislação trabalhista. Uma dessas alterações relacio

INFLAÇÃO ACIMA DA META

As justificativas do Banco Central para o encerramento de 2021 com a inflação em 10,06%, ou seja, acima da meta que era de 3,75% com tolerância de 1,5 ponto percentual, esta relacionada aos preços das