top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

DESPERDICIO O PESSIMO COSTUME DE MANTÊ-LO E ACHAR QUE É NATURAL

Em nossos informativos de 09/novembro/2022, 31/outubro/2022, 03/agosto/2021, 02/julho/2021, 29/junho/2021, 27/novembro/2020, e 24/novembro/2020 abordamos o tema relacionado a - gestão, administração, eficiência em controles, e eliminação - tudo relacionado ao desperdício.

 

O foco das abordagens esteve vinculado em alertar sobre a importância quanto ao controle e acompanhamento na  aplicação dos recursos de forma a termos o retorno concreto do investimento de acordo com o plano de execução  do evento ao qual ele se relaciona.

 

Temos direcionamento específico a essa questão em todos os nossos projetos,  considerando que muitas vezes, pela dinâmica da operação, pela correria do dia a dia, o desperdício passa a ser um evento natural nas operações. Isso não pode ocorrer, não há naturalidade nesse aspecto. O Desperdício está associado a mal planejamento, ou, mal  plano de ação, ou, má gestão das atividades. A meta é eliminá-lo, ou, reduzi-lo ao máximo com ações definidas para a sua eliminação.



Em uma de nossas abordagens, comentamos sobre o fato das empresas buscarem de várias maneiras, alcançar a sua eficiência operacional, sendo que isso não poderia ser diferente, pois é o foco de qualquer investimento. Ressaltamos, porém, que quando se questiona o conceito dessa busca, ou seja, de fato o que é essa eficiência e os benefícios dela para a organização, temos um instante de silêncio como se a questão fosse tão óbvia que a pergunta não caberia na abordagem. Na realidade essa busca está relacionada a identificação, administração e eliminação do desperdício, a busca do desempenho e da qualidade com a quantidade certa de insumos e investimentos, impactando a agilidade no atendimento da empresa para com o seu mercado consumidor. O que parece ser óbvio, como a dedução clara de rentabilidade e lucratividade, é uma consequência da administração, e eliminação, do desperdício, de forma a se trabalhar com o investimento seja material, seja financeiro, seja de mão de obra, todos na medida certa, nem mais e nem menos. Como ter rentabilidade e lucratividade sem antes atender esses quesitos – eliminar desperdícios com o investimentos na medida exata – ou seja, se não houver controle dos custos e despesas da operação, atrelando parâmetros de suas realizações com parâmetros de receitas, a gestão do negócio pode estar comprometida. A meta é identificar as origens, ou, fontes de desperdício e eliminá-las.




Nas abordagens mencionamos um exemplo de desperdício, que na época era revestido de total naturalidade, diferentemente do que é hoje, considerando todo o aparato tecnológico que dispomos  para as operações da empresa. Esse exemplo está relacionado a confecção de café pelas nossas avós que tinham uma chaleira de dois litros para ferver a água do café, o bule tinha um litro e meio, e todos os dias elas enchiam a chaleira com dois litros de água, colocavam as medidas de café e açúcar para dois litros, o tempo de aquecimento em fogão a gás ou a lenha, era equivalente a dois litros, mas o resultado final, todos os dias, era um litro e meio de café, medida que o bule comportava.



Nos links abaixo temos publicações sobre o assunto. Boa leitura!

 

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page