Buscar
  • Grupo Bahia & Associados

ENCOLHIMENTO HISTÓRICO DA ECONOMIA

Atualizado: 11 de Set de 2020

O segundo trimestre de 2020 apresentou encolhimento histórico da economia (redução do PIB – Produto Interno Bruto), indicando uma queda de 9,7% em relação ao trimestre anterior.

Sem dúvida as medidas de combate ao coronavirus foram decisivas para essa situação. A queda indicou a maior retração registrada, na base de comparação, desde 1980.

Dois trimestre de queda caracterizam o que se chama de recessão técnica, mais temos a perspectiva de melhores números, pois os meses de maio e junho indicaram a possibilidade de melhora com o isolamento pela pandemia ficando mais brando.

Como projeção do PIB anual temos as indicações do mesmo ficar em ter - 4,5% a – 6,5%. Não somente a pandemia, mas a administração das contas públicas e o difícil entendimento político partidário são suporte para esse cenário.

Tudo isso impacta, inclusive, nos investimentos voltados ao setor produtivo, ou seja, a chamada formação de Capital Fixo, também esta em baixa como ocorreu no primeiro trimestre.

A saída para o atual momento é termos políticas voltadas ao aquecimento da economia, políticas que identifiquem e cortem o excesso de gastos públicos, políticas que aqueçam os investimentos em infraestrutura e aqueçam a produtividade. As reformas discutidas atualmente, também são importantes, mas a necessidade é de urgência em ações e demonstração de resultados, e provavelmente, as reformas, pelas suas amplitudes, podem trazer morosidade ao momento de recuperação, e morosidade é o que menos se precisa agora, o que se busca é a assertividade em políticas que reaqueçam a economia.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

POSSIBILIDADE DE UM NOVO REFIS

Discute-se no Legislativo Federal, a proposta de um novo programa de refinanciamento de dívidas tributárias (REFIS). A proposta original é do Senado que sugere uma graduação para a concessão do refin

PRESERVAÇÃO DOS BENEFÍCIOS DA LEI DE INFORMÁTICA

Em marco/2021 o Congresso promulgou a PEC (Proposta de Emenda a Constituição) de numero 186/2019 que permitiu ao Governo, pagar, em 2021 o auxilio emergencial no montante de R$ 44 bilhões focando os m