top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ESTOQUES VOLTAM AO NORMAL

Praticamente, após dois anos, a crise que desorganizou a cadeia de abastecimento, resultando na dificuldade de encontrar insumos, problemas logísticos e variações abruptas de preço, parece estar sendo administrada, com as empresas tendo condições de formar estoques, buscando eliminar, ou, pelo menos ter condições de prever gargalos de produção.


A regularidade chega de forma escalonada deixando as micro e pequenas empresas, ainda às margens dessa plena regularidade. A questão está relacionada a melhor forma, em termos de manter rentabilidade e lucratividade da operação, de identificar compras que se traduzam em estoques sadios, não sacrificando o fluxo de caixa da empresa, e mantendo a administração quanto ao prazo de entrega.


O importante na avaliação é que a gestão dos estoques, tudo indica, está voltando ao normal, mas com o alerta de que a plenitude de seu fluxo, como antes da pandemia, deve demorar, pelo menos mais dois anos, principalmente por fatores relacionados a identificação e homologação de novos fornecedores, em substituição àqueles que não suportaram a crise do coronavírus.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

MAIS SOBRE A REFORMA TRIBUTÁRIA

A conclusão a que se está chegando, quanto a proposta de alocar produtos a cesta básica nacional, produtos esses que terão alíquota zero do IVA (CBS + IBS), e principalmente, com foco na carne, é que

INFLAÇÃO

As projeções de inflação para 2024 e 2025, revistas pelo Ministério da Fazenda, indicam aumento de percentuais. Para 2024 a estimativa era de 3,7% e agora é de 3,9%, e para 2025 a estimativa era de 3,

SINAL POSITIVO NA ECONOMIA

A informação do Ministro da Fazenda, de que haverá, em termos orçamentários, com vistas a atender  o arcabouço fiscal, o bloqueio de R$ 11,2 bilhões, e o contingenciamento de R$ 3,8 bilhões do orçamen

Comments


bottom of page