top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ICMS EXCLUIDO DA BASE DE CÁLCULO DO PIS E DA COFINS

Muitas empresas refizeram cálculos relacionados ao recolhimento de PIS e da COFINS, refazimento este considerando a retirada do ICMS da base de calculo dessas contribuições, suporte na decisão do STF de março/2017. Abordagem várias sobre a questão ocorreram de forma que sobre muitas delas geradas pela Receita Federal, se buscou esclarecer entendimento sobre o operacional dessa exclusão e a restituição de valores de PIS e COFINS pagos a maior por conta da mesma.


Agora, temos mais um posicionamento da Receita Federal sobre a questão que vem praticando glosas ou até mesmo negativas sobre esses procedimentos, diferenciando em sua análise, as situações nas quais por conta das operações com o ICMS na base de calculo do PIS e da COFINS, o contribuinte pagou essas contribuições (pagamento a maior), e as situações na qual a empresa manteve crédito no período, ou seja, situações que geraram o chamado indébito tributário (desembolso), e as situações que impactaram a apuração mas não geraram esse indébito. A Receita Federal entende que o direito a restituição deve ocorrer para quem desembolsou recursos para pagar a contribuição e não para quem teve impacto na apuração, por exemplo reduzindo saldo credor.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page