top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ICMS NÃO DEVE COMPOR A BASE DE CÁLCULO DO PIS E DA COFINS (ASSUNTO AINDA NÃO FINALIZADO)

Como temos comentando em alguns de nossos informativos, por exemplo o de 30/julho/2021, a percepção é que a questão relacionada ao ICMS não compor a base de cálculo do PIS e da COFINS, ainda não terminou, e tudo indica, vai demandar mais algum tempo e etapas de discussões.

No nosso informativo de 30/julho/2021 mencionamos o posicionamento da Receita Federal quanto entender e a aplicar a posição do STF - Supremo Tribunal Federal, referente ao ICMS não compor a base de cálculo do PIS e da COFINS nas vendas realizadas pelas empresas, assim como também em suas aquisições (os créditos).

Essa questão veio a público recentemente com a divulgação do Parecer COSIT de numero 10 de 01/julho/2021 no qual a Receita Federal encaminha consulta para a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional – PGFN apresentando seu entendimento nesse sentido, ou seja, retirada do ICMS na base de cálculo do PIS e da COFINS nas vendas e também nas compras.

Nessa consulta para a PGFN a Receita Federal faz uma vasta exposição do seu entendimento, citando disposições das Leis próprias das duas Contribuições, da Constituição, abordando o princípio da não cumulatividade, assim como o princípio da razoabilidade, faz uma demonstração numérica quanto a mecânica de apropriação de créditos tributários nas aquisições e do tratamento de débitos tributários nas vendas realizadas pelas empresas, e por ultimo apresenta seu posicionamento solicitando aval ao mesmo por parte da Procuradoria, quanto a:

i) Na apuração da Contribuição para o PIS e para a COFINS incidente sobre a venda, o valor do ICMS destacado em NF deve ser excluído da base de cálculo, visto não compõe o preço da mercadoria; e

ii) Na apuração dos créditos da Contribuição par ao PIS e para a COFINS a descontar, o valor do ICMS destacado na NF deve ser excluído da base de cálculo, visto que não compõe o preço da mercadoria.

Vamos aguardar o posicionamento da PGFN.

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comentários


bottom of page