top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

MAIS DO MESMO

Em maio de 2010, em visita ao Brasil, a na época, Secretaria do Governo Americano, Hillary Clinton, elogiou a carga tributária do Brasil, naquele momento, próxima dos seus 38%. Muitos aproveitaram esses elogios para direcioná-los ao que podemos chamar de versatilidade, ou, diversidade dessa carga tributária, que também nas proximidades daquele instante teve a redução a zero do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para produtos da chamada “linha banca”, buscando-se alavancar o consumo e estimular o aquecimento da economia naquela fase que também não era das melhores, ou seja, a redução em um imposto, para produtos que atendiam determinado nicho de mercado, traria aquecimento a economia.

O que se analisa, agora, como parte do Programa Pro-Brasil (nosso informe de  23 de agosto de 2020) é a redução a zero do IPI sobre eletrodomésticos  da chamada “linha branca”.

A sugestão, é uma forma  de contornarmos o momento atual que carece de um empurrão para a retomada da economia, enquanto se discute vários outros assuntos, como a própria Reforma Tributária, a própria seletividade do IPI, o próprio Programa Pro-Brasil, questões de saúde relacionadas a pandemia, orçamentos da União, Estados e Municípios, os déficits significativos desses orçamentos e vários outros temas da atualidade.

Lá atrás, e atualmente, a redução do IPI pode ser uma boa solução. Será que a Sra. Hillary Clinton tinha razão?

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page