top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

MAQUINAS E EQUIPAMENTOS – QUAL ENTENDIMENTO?

A interpretação restritiva ou literal do termo “máquinas e equipamentos” está sendo fundamental para a tomada de créditos de PIS e Cofins pelas empresas enquadradas no regime não cumulativo dessas contribuições.

A Receita Federal e a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional entendem que o termo “máquinas e equipamentos!” tem aplicação relacionada aos créditos dessas contribuições  utilizando a  interpretação restritiva  do mesmos, ou seja, possibilidade de crédito relacionado somente  máquinas e equipamentos incorporados ao ativo da empresa e que sejam utilizados na fabricação de itens destinados a venda ou na prestação de serviços. Já as empresas entendem que a expressão deve ser analisada em conjunto com a atividade econômica desenvolvida base para as mesmas contribuições, podendo ocorrer a apropriação dos créditos sobre a aquisição, por exemplo, de veículos, embarcações, aeronaves, etc..., no conceito amplo de máquinas e equipamentos incorporados ao ativo imobilizado da empresa (inciso V do artigo 3º da Lei 10833/2003 e inciso VI do artigo 3º da Lei 10637/2002),  utilizados na obtenção e realização da atividade fim da empresa, geradora da receita operacional tributada por essas contribuições (PIS e Cofins).

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page