top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

NEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS

A Portaria de numero 1696/2021 do Ministério da Economia possibilitou a negociação de tributos em atraso através da chamada “transação por adesão”.


Os débitos contemplados são os vencidos entre maio e dezembro de 2020, e não quitados tendo em vista o impacto econômico da pandemia. Os débitos a serem negociados deverão estar inscritos em dívida ativa da união até o dia 31/maio/2021.


Os débitos das empresas enquadradas no Simples Nacional, nessas mesmas condições, ou seja, vencimentos entre março a dezembro/2020 também fazem parte da possibilidade de negociação.


Os débitos do imposto de renda da pessoa física referente ao exercício 2020 também estão contemplados nessa possibilidade de acordo.


Para a opção e formalização de acordo de quitação pela “transação por adesão” serão analisados os reais impactos da pandemia nos atrasos de pagamentos e a capacidade de regularização do contribuinte.


O prazo para a formalização do acordo será entre o dia 01/março/2021 e 30/junho/2021.


Para as pessoas jurídicas cujos os débitos sejam considerado irrecuperáveis ou de difícil recuperação, a negociação pode chegar a acordo quanto ao parcelamento com entrada parcela, desconto de até 100% sobre os valores de multas, juros e encargos, considerando o limite de até 50%, 45%, 40% ou 35% do valor total da dívida, com prazo de quitação entre 48 a 72 meses, podendo o valor da parcela estar atrelado entre o maior valor comparando-se 1% da receita bruta do mês anterior, ou, o resultado da divisão da dívida pela quantidade de meses aquele que entre eles for maior. Para as dívidas relacionadas a previdência social o limite máximo para quitação é de 60 meses.


Para as empresa do SIMPLES NACIONAL a entrada também poderá ser parcelada, a redução de multa e juros pode ser de 100% observado o limite de 70%, 60%, 50%, 40% ou 30% do valor do crédito, o parcelamento pode ser entre 36 a 133 meses, e a parcela também estará atrelado entre o maior valor comparando-se 1% da receita bruta do mês anterior, ou, o resultado da divisão da dívida pela quantidade de meses aquele que entre eles for maior.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comentários


bottom of page