top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

PIS E COFINS – REGIME MONOFÁSICO – SEM POSSIBILIDADE DE CRÉDITOS

Em nosso informativo de 04/agosto/2020 tratamos do tema – PIS e COFINS _ REGIME MONOFÁSICO. Comentamos que a 1ª Turma do STJ _ Superior Tribunal de Justiça, em julho/2020, teve posicionamento favorável a contribuinte quanto a possibilidade de crédito de PIS e COFINS cuja tributação tinha ocorrido pelo regime monofásico. Já a 2ª Turma do STJ tinha posicionamento contrário a esse entendimento, de forma que a divergência seria levada a decisão da 1ª Seção do STJ.


No último dia 14/abril, a 1ª Seção do STJ se manifestou a respeito da questão no sentido de que não há direito ao mencionado crédito.


Assim, as empresas que adquirem para revenda produtos com esse tipo de tributação, não podem utilizar esse crédito, no conceito de que as revendas dos respectivos produtos não terão a incidência dessas contribuições. Os contribuintes alegaram que o artigo 17 da Lei de número 11033/2003 assegura o direito ao crédito, ao indicar que as vendas efetuadas com suspensão, isenção, alíquota zero, ou, não incidência do PIS e da COFINS, não impedem a apropriação de crédito das mesmas (contribuições) quando da aquisição dos produtos a serem revendidos.


A decisão recente, porém, interpretou que essa disposição legal não revogou as disposições das Leis de números 10637/2002 (PIS não cumulativo) e 10833/2003 (COFINS não cumulativa) que tratam da não possibilidade de apropriação de créditos em operações com produtos que tenham o PIS e a COFINS recolhidos pelo regime monofásico.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

MAIS SOBRE A REFORMA TRIBUTÁRIA

A conclusão a que se está chegando, quanto a proposta de alocar produtos a cesta básica nacional, produtos esses que terão alíquota zero do IVA (CBS + IBS), e principalmente, com foco na carne, é que

INFLAÇÃO

As projeções de inflação para 2024 e 2025, revistas pelo Ministério da Fazenda, indicam aumento de percentuais. Para 2024 a estimativa era de 3,7% e agora é de 3,9%, e para 2025 a estimativa era de 3,

SINAL POSITIVO NA ECONOMIA

A informação do Ministro da Fazenda, de que haverá, em termos orçamentários, com vistas a atender  o arcabouço fiscal, o bloqueio de R$ 11,2 bilhões, e o contingenciamento de R$ 3,8 bilhões do orçamen

Comentários


bottom of page