top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

REDUÇÃO DE IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO

Em nosso informativo de 19/fevereiro/2021 tratamos de proposta que o Brasil esta discutindo com os parceiros do MERCOSUL sobre corte linear da TEC (tarifa externa comum) com intuito de tornar mais acessível para todo o bloco a busca por insumos industriais.


Nessa linha, e de forma isolada, nos limites do acordo com o MERCOSUL o Governo Brasileiro esta reduzindo em 10% (não é dez pontos percentuais) a alíquota de imposto de importação de itens relacionados ao mercado de eletroeletrônicos e bens de capital. A intenção é que os efeitos dessa medida já caminhem no sentido da proposta que esta sendo analisada junto ao MERCOSUL de corte linear, falava-se em 20%, mas menciona-se atualmente 10%.


A proposta de redução contempla aproximadamente 1.495 NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul), ou seja, classificações fiscais, cuja iniciativa de redução, conforme comentado acima, pode ser conduzida de forma isolada, sem a participação ou discussão com os parceiros do bloco econômico.


Em termos práticos espera-se que a redução traga um incremento de operações de comércio exterior, tanto importação como exportação, como a geração de empregos pela dinâmica da movimentação nesse mercado e outros por ele impactados, e também uma redução de preço para itens beneficiados, ou mesmo itens fabricados com insumos importados alcançados por essa redução. Além da proposta de redução de 10% das alíquotas, itens contemplados atualmente, com alíquotas de imposto de importação de 2% terão a redução a zero por cento.


A entrada em vigor dessa redução ocorrerá após sete dias contados da publicação da Resolução da SECEX que trará a identificação dos itens beneficiados. Vamos aguardar a divulgação da relação de itens contemplados com essa redução.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

REFORMA TRIBUTÁRIA

Temos realizado comentários quanto a questão relacionada a proposta original da reforma tributária de não aumento de carga tributária, e as análises atuais, que indicam, essa proposta não será cumprid

VAREJO

As vendas no varejo cresceram em abril, mas com crescimento abaixo do esperado. Apesar disso houve, também, a identificação  de busca ao alcance da meta considerando o aquecimento do mercado de trabal

Comentarios


bottom of page