top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ALTERNATIVA PARA REDUZIR O CUSTO DA FOLHA DE PAGAMENTO

Desonerar a folha de pagamento das empresas para trabalhadores com menor qualificação profissional. Essa pode ser uma alternativa para a redução do custo da folha de pagamento das empresas, situação que é o objetivo do Ministério da Economia, para contrapor possíveis efeitos negativos de alguns ramos da economia com aumento de impostos tendo em vista as propostas de reforma tributária. Assim, ao invés de se pensar em uma desoneração total, seria alternativa, analisar, no primeiro momento, uma desoneração pontual ou limitada.

Essa centralização de redução de encargos pode trazer mais resultado do que a redução sobre o total dos gastos com trabalhadores. Um efeito complementar seria a formalização de emprego, ou seja, o aumento da empregabilidade oficial dessa faixa de mercado que mais é impactada com o desemprego, muito pela baixa qualificação. As empresas que tiverem o benefício dessa redução poderiam apresentar comprometimento de qualificar e capacitar esses colaboradores mantendo a desoneração por um período de tempo mesmo após a qualificação dos mesmos.

Estudos demonstram que em termos de redução de custos sobre a folha de pagamento, traz o mesmo efeito reduzir um ponto percentual para o total da folha, se comparado a reduzir dez pontos percentuais somente para os trabalhadores com baixa qualificação, que são caracterizados como os que possuem até oito anos de escolaridade.

É preciso analisar todas as possibilidades para mantermos e gerarmos emprego, assim como também é possível analisarmos alternativas legais de redução de carga tributária, sendo mais evidente ainda que há a evolução de discussões sobre reforma tributária que impactarão o dia a dia das empresas. Sugestões precisam ser colocadas à mesa para apreciação e críticas.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

MAIS SOBRE A REFORMA TRIBUTÁRIA

A conclusão a que se está chegando, quanto a proposta de alocar produtos a cesta básica nacional, produtos esses que terão alíquota zero do IVA (CBS + IBS), e principalmente, com foco na carne, é que

INFLAÇÃO

As projeções de inflação para 2024 e 2025, revistas pelo Ministério da Fazenda, indicam aumento de percentuais. Para 2024 a estimativa era de 3,7% e agora é de 3,9%, e para 2025 a estimativa era de 3,

SINAL POSITIVO NA ECONOMIA

A informação do Ministro da Fazenda, de que haverá, em termos orçamentários, com vistas a atender  o arcabouço fiscal, o bloqueio de R$ 11,2 bilhões, e o contingenciamento de R$ 3,8 bilhões do orçamen

Comentários


bottom of page