top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

ALTERAÇÕES EM ALIQUOTAS DO IMPOSTO DE IMPORTAÇÃO

O Comite Executivo de Gestão (GECEX) da Câmara do Comercio Exterior (CAMEX) na primeira reunião do atual Governo, ocorrida na ultima quinta feira, aprovou alterações importantes relacionadas a imposto de importação de alguns produtos. Esses produtos são identificados como pneus de cargas e resinas plásticas.


Basicamente tivemos o retorno da alíquota de imposto de importação na ordem de 16% sobre a importação de pneus de carga, e a retirada de quatro resinas plásticas da Lista de Exceção à TEC (Letec). Quanto aos pneus temos a proposta de suspensão da aplicação da alíquota atual, de 0% do imposto de importação para cinco modelos dos mesmos. Essas alterações devem ser divulgadas até o dia 21/03/23.


Quanto as resinas plásticas a alíquota do imposto de importação que passará a ser utilizada será de 11,2%, finalizando o ciclo de redução, base em resolução do GECEX de julho e agosto/2022 que indicaram as alíquotas de 3,3%, para copolímeros de etileno (NCM 3901.40.00); 4,4%, para copolímeros de propileno (NCM3902.30.00); 4,4%, para PVC obtido por processo de suspensão (NCM 3904.10.10); e 4,2%, para Politereftalato de etileno – PET (NCM 3907.61.00). Essas alterações tinham proposta de vigência entre 05/08/2022 a 04/08/2023. Especificamente para as resinas, a indicação é de que a redução aplicada foi prejudicial ao setor químico local vinculado a industrialização desses itens, pois a redução do imposto de importação gerou o aumento de importação a redução dos preços para as resinas nacionais. Para esses itens a estimativa de divulgação das novas alíquotas também é 21/03/23.


Sobre as alterações ocorridas em 2022, vejam o nosso informativo de 06/08/2022 – Alterações no Imposto de Importação.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

PIS - COFINS E O ICMS-ST

A 1ª Seção do Superior Tribunal de Justiça – STJ,  por decisão unânime, em julgamento de recurso repetitivo, ou seja, com decisão base para instancias inferiores do Judiciário, entendeu pelo não aprov

AUTODECLARAÇÃO DE ORIGEM

Conforme mencionamos em informe anterior  (NOVO REGIME DE ORIGEM – MERCOSUL), os membros desse mercado comum,  decidam por adotar o método de comprovação de origem identificado como autodeclaração _ a

NOVO REGIME DE ORIGEM - MERCOSUL

O Decreto de número 12058/24, tratou do 218º Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica número 18 do MERCOSUL,  firmado entre Brasil, Argentina, Paraguai, e Uruguai. Esse Protocolo Adic

Comments


bottom of page