top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

COVID-19 _ RECOLHIMENTOS DAS EMPRESAS PARA A PREVIDENCIA SOCIAL

No auge da pandemia, a partir de março de 2020, muitas medidas foram tomadas para amenizar o impacto da mesma sobre a população, sobre a questão de emprego, renda, e proteção social.


Uma delas veio através da Lei de número 13982/2020 que tratou e alguns aspectos nesse sentido, constando entre eles, a possibilidade das empresas, deduzirem do repasse das contribuições à previdência social, observado o limite máximo do salário de contribuição ao RGPS, o valor devido, referente aos primeiros quinze dias consecutivos de afastamento ao segurado empregado cuja incapacidade temporária para o trabalho fosse comprovadamente decorrente de sua contaminação pelo coronavírus (Covid-19). Esses primeiros quinze dias de afastamento, de acordo com o parágrafo 3º do artigo 60 da lei de numero 8213/1991, são de responsabilidade da empresa. Assim pelo texto da Lei temos a autorização para as empresas realizarem essa dedução dentro destes quinze dias, o que muitas já estão realizando.


Ocorre que no final de Dezembro/2020, foi divulgada a Solução de Consulta COSIT de numero 148/2020 que acrescentou a essa possibilidade uma condicional que a Lei não mencionou.


O texto da Solução de Consulta diz o seguinte:


Assunto: Contribuições Sociais Previdenciárias

CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS. HIPÓTESE DE INCIDÊNCIA. PRIMEIROS QUINZE DIAS DO AUXÍLIO-DOENÇA. DEDUÇÃO. SALÁRIO INTEGRAL. ATÉ 15 DIAS. CORONAVÍRUS. COVID-19.

As empresas podem deduzir do repasse das contribuições à previdência social o salário integral, até o limite máximo do salário de contribuição, pago proporcionalmente ao período de até 15 (quinze) dias de afastamento do empregado em razão de contaminação por coronavírus, durante o período de 3 (três) meses, contado a partir de 2 de abril de 2020, desde que tenha sido concedido benefício de auxílio-doença ao empregado. (g.n)


As empresas devem estar atentas a esse tema pois a questão do auxílio-doença mencionado na Solução de Consulta não foi apresentado como condicional para a dedução de que trata a Lei. Aliás, a concessão do auxílio doença ocorre a partir do 16º de afastamento, sendo entendimento da Receita Federal que o afastamento deve ser superior a quinze dias para que a empresa tenha direito a essa dedução, o que não é a informação trazida pela Lei.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

PIS - COFINS E O ICMS-ST

A 1ª Seção do Superior Tribunal de Justiça – STJ,  por decisão unânime, em julgamento de recurso repetitivo, ou seja, com decisão base para instancias inferiores do Judiciário, entendeu pelo não aprov

AUTODECLARAÇÃO DE ORIGEM

Conforme mencionamos em informe anterior  (NOVO REGIME DE ORIGEM – MERCOSUL), os membros desse mercado comum,  decidam por adotar o método de comprovação de origem identificado como autodeclaração _ a

NOVO REGIME DE ORIGEM - MERCOSUL

O Decreto de número 12058/24, tratou do 218º Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica número 18 do MERCOSUL,  firmado entre Brasil, Argentina, Paraguai, e Uruguai. Esse Protocolo Adic

Bình luận


bottom of page