top of page
Buscar
  • Foto do escritorGrupo Bahia & Associados

NEGOCIAÇÕES COM A PGFN – PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL

A chamada transação tributária é a proposta constante na Lei de numero 13988/20, e mais recentemente na Lei de numero 14375/22, que objetiva facilitar negociações de natureza tributária entre a União e contribuintes. A operacionalização dessas negociações fica a cargo da Receita Federal e da PGFN. Originalmente as negociações estavam vinculadas aos débitos inscritos em dívida ativa da união, ou seja, já sob a gestão da PGFN, e mais recentemente com estudo para autorizar que também a Receita Federal possa realizar essa possibilidade de negociação junto aos contribuintes para as dívidas ainda em fase administrativa.


A Lei de numero 13988/20 trouxe como um dos atrativos a possibilidade de na transação tributária termos a utilização de créditos relacionados a prejuízos fiscal, e base negativa da CSLL, até o limite de 70% do saldo remanescente da dívida após a aplicação dos descontos, se aplicáveis.


A PGFN publicou no dia 01/08/22 a Portaria PGFN de número 6757/22 regulamentando essa negociação, e ao abordar a questão da compensação dos prejuízos fiscais do IRPJ e base negativa da CSLL, enfatizou que a mesma (compensação) ocorrerá a seu critério, indicativo esse não constante na legislação.


Essa mesma Portaria abriu o precedente da transação individual para os devedores cuja dívida consolidada e devidamente inscrita (inscrição na dívida ativa da união) seja superior a dez milhões de reais (antes era quinze milhões de reais), ou, cujo débito consolidado do FGTS inscrito em dívida ativa seja superior a um milhão de reais.

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A NOVELA DA DESONERAÇÃO

Com efeitos imediatos, o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Cristiano Zanin, atendeu a solicitação  do governo e do Congresso Nacional, suspendendo  por 60 dias a liminar que havia derrubado

PREÇO DE TRANSFERENCIA

Questão interessante chegou ao Judiciário. Uma empresa de São Paulo, obteve liminar na Justiça Federal, para não aplicar em suas operações, as novas regras de preço de transferência (transfer price).

Comments


bottom of page