Buscar
  • Grupo Bahia & Associados

COMPARATIVO DE ENCARGOS SOBRE FOLHA DE PAGAMENTO

Em comparativo realizado entre o Brasil e países membros da OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, quanto a encargos sobre a folha de pagamento, como era de se esperar, houve a indicação de que esse percentual, para o Brasil, é quase o dobro com relação a parcela considerável dos outros países.

Em um universo de pesquisa relacionado a 16 países, a tributação média sobre a folha salarial ficou em 14,6%.

O Brasil tem esse percentual de encargos na ordem de 28,8%, a França na ordem de 26,6%, Áustria, Suécia, Espanha em 20%, Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e Coreia do Sul em 10%, e Austrália em 5,6%.

Análise simples, demonstra que o fato de se ter mais encargos sobre a folha de pagamento, impacta diretamente no custo do produto e na competitividade da empresa. Isso no tocante ao mercado local onde, em teoria, em determinadas faixas de concorrência os competidores possuem o mesmo percentual de encargos fica atrelado a negociações comerciais, já para o mercado externo, temos um componente efetivamente desfavorável em termos de composição de custos.

A proposta atual de redução de encargos de folha de pagamento, componente de sugestão, para a reforma tributária, é bem vinda, mas é preciso ter atenção sobre qual será ela e a sua forma de aplicação. Precisamos reduzir esses encargos, e não transferi-los de linha na análise de custos operacionais.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

POSSIBILIDADE DE AUMENTO DO DESEMPREGO PREOCUPA

Trabalhando de forma preventiva a uma possível indicação de aumento do desemprego, O Governo Federal através de sua equipe econômica estuda a aplicação, em 2021, de algumas medidas utilizadas em 2020.

CRÉDITOS DE PIS E COFINS

A decisão do STJ – Superior Tribunal de Justiça de fevereiro de 2018, que tratou de conceitos de essencialidade e relevância para apropriações de créditos de PIS e Cofins, teve, novamente, impacto em

ALTERNATIVA PARA A GERAÇÃO DE EMPREGOS

O Ministério da Economia tem como um de seus principais objetivos para 2021, a retomada do emprego no país, considerando o alto nível de ausência de carteiras de trabalho assinadas antes da pandemia,

© 2020 por Grupo Bahia & Associados

  • LinkedIn Social Icon